03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 11:54

Publicado

02/02/2021

Atualizado

31/01/2024
Publicação

ATUAL GESTÃO AINDA NÃO TEM UM PLANO DE AJUDA AOS PROFISSIONAIS DE EVENTOS

Por Gicardson Lima, Graduado em Letras, Inglês e Português pela UERN, Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Estamos, quase, há um ano do início da pandemia, e desde então, aqueles que dependem economicamente de eventos foram e são os mais prejudicados. Com a notícia de que o Carnaval teria sido cancelado e que já foram iniciadas as articulações para o São João de Assú, esse tema já abordado pelo Observatório da Várzea no ano passado, volta a ser debatido esse ano pelo setor prejudicado.

Diante disso, representações de trabalhadores em eventos e comissões de músicos da cidade têm procurado a gestão “gente cuidando de gente”, para que, juntos possam encontrar uma maneira de amenizar o impacto negativo econômico sem a realização de festas, shows e eventos gerais.

Na última semana, o Prefeito George Soares decretou o cancelamento do Carnaval, o que pegou muita gente despreparada para a notícia. Sim! Despreparada. E todos devem se perguntar: E a pandemia? Acontece que, além de ter sido cancelados eventos públicos, também foram cancelados eventos privados. O que deixou artistas, iluminadores, sonoplastas e armadores de palco bastante preocupados com a falta de trabalho que já se estende por quase um ano.

Fontes seguras afirmam à nossa redação que as secretarias envolvidas estão se reunindo com a classe para viabilizar da melhor forma a atuação desses profissionais em um evento virtual neste carnaval. Bem como, aproveitar aqueles artistas que foram comtemplados com o edital Aldir Blanc.

Por outro lado, a situação parece ser mais um paliativo, o qual não consegue abranger nem se quer a metade daqueles que precisam trabalhar e gerir sustentabilidade para o seu ofício. O que acontece na realidade é de que em momento nenhum, desde o ano passado, o poder executivo apresentou alternativas palpáveis para quem necessita de eventos para prover seu sustento. Segundo fontes, algumas pessoas foram contempladas com cestas básicas, somente no início da pandemia. Outros foram contemplados com Auxílio Emergencial do governo federal, e mais alguns artistas que foram selecionados com o Edital Aldir Blanc.

Contudo, grande parte desse pessoal ficou de fora de todos esses benefícios, os quais também não conseguem ser o suficiente para cobrir o faturamento obtido na época de festas. Por fim, nem tudo que é divulgado é a maravilha que parece ser apresentado pelas mídias pertencentes à gestão “gente cuidando de gente”. Sem ter um indicativo de quando a pandemia irar dar condições para a realização de eventos, como fica a classe profissional de eventos? Certo que o carnaval virtual dará um alento, mas nem a todos. E depois do carnaval? Fica como, esperando o São João?

Estamos observando!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS