05 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 06:42

Publicado

06/06/2023

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Cargo no Governo Lula é a única chance para Ivan Júnior entrar na corrida à Prefeitura do Assú

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente de Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Ontem (05), em entrevista à Rádio 91.9 FM de Natal, o presidente do partido União Brasil no RN, José Agripino, seguiu defendendo a indicação do nome do ex-prefeito de Assú, Ivan Júnior, à superintendência regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf-RN). “Então não há por que você humilhar o rapaz e fazer uma indicação, ficar substituindo, trocando por outro. Não, de minha parte não há substituição”, pontuou Agripino.

O nome de Ivan Júnior perdeu força após internautas recuperarem uma entrevista em que ele concedeu ano passado à Rádio Princesa, onde disparou críticas contra Lula em um momento decisivo da campanha eleitoral pela presidência. Adversário ferrenho da Governadora Fátima Bezerra (PT), isso também pesa nessa disputa, uma vez que a mandatária é aliada do principal opositor de Ivan, o deputado estadual George Soares (PV).

De acordo com informações apuradas pela agência Saiba Mais, o União Brasil pode indicar outro nome para o cargo, desde que não seja o nome de Ivan Júnior. “Politicamente eu acho um equívoco da parte dele mesmo aceitar estar se submetendo a uma situação dessa depois de toda a forma como ele se comportou durante esses anos nessa relação com Rogério Marinho, com Bolsonaro e o bolsonarismo, a forma como ele se referiu ao Governo do Estado, ao presidente Lula”, afirmou uma fonte com trânsito dentro do governo para a agência.

Em recente entrevista ao Agora RN, quando questionado sobre as eleições de 2024, Ivan Júnior afirmou: “Posso ser [candidato]? Posso. Posso não ser também? Posso não ser, depende do cenário. Eu tenho que trazer aliados”, disse Ivan ao jornal.

Apesar de ter se mostrado competitivo ao perder a eleição para Prefeito de Assú em 2020 por apenas cinco votos, o cenário atual é diferente de três anos atrás e Ivan reconhece isso com sua declaração. O fato é que o prestígio que o cargo de superintendente da Codevasf ofereceria a Ivan Júnior, é atrativo não apenas pelo salário de R$ 20 mil mensais. A função permitiria que Ivan atuasse com perfuração e instalação de poços, pavimentação e drenagens de ruas, construção de adutoras, além de estruturação de associações e prefeituras por todo o estado, o que traria visibilidade para voltar à cena política local.

Sem mandato atualmente e caso não conquiste esse cargo, Ivan Júnior não reuniria condições para impor seu nome ou da sua esposa Dra. Vanessa como cabeça de chapa pela oposição. O cenário local hoje caminha para que a disputa pela cadeira à Prefeitura do Assú seja entre Lula Soares (situação) e Fabielle Bezerra (oposição).

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS