23 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 06:12

Publicado

27/12/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Continua a saga da Banda Filarmônica de Assú

Por Gicardson Lima, Graduado em Letras, Inglês e Português (UERN) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Após matéria vinculada aqui no Observatório da Várzea, o Prefeito Gustavo Soares e seus comandados fizeram tentativas em realizar mais uma reunião com a equipe da Filarmônica Maestro Cristóvão Dantas. Na tentativa de encerrar com as especulações que giram em torno do pleito que visa criar bolsas de incentivo para os músicos da referida banda, a gestão Soares enfim conseguiu reunir em seu gabinete uma comissão representante da banda composta pelo competentíssimo Maestro Brito Silva, assim como Alexandre Varela e Daiane Ferreira, músicos representantes, na manhã de 23 de dezembro.

Na ocasião, a reunião contou a presença do nobre secretário adjunto de Cultura Paulo Sérgio de Sá Leitão, que juntamente com a representação da Filarmônica receberam o total apoio da gestão ao citado pleito, uma confirmação de que o projeto será votado, contudo, em nota publicada pela prefeitura, não cita em momento algum uma data exata muito menos aproximada de quando o pleito será votado. O que chama bastante atenção, pois se trata de um projeto direcionado pelo executivo, e o Prefeito possui dentro do seu quadro de apoiadores um número considerável de vereadores que poderiam conduzir de forma mais atuante, de modo que fosse estabelecido um norte, já que se trata de um pleito que lida com vulnerabilidades econômicas de seus futuros beneficiários. Mais uma vez, faltou articulação.

Todavia, durante a reunião solicitada pelo Secretario de Administração Clebson Corsino e com o Prefeito Gustavo Soares foi reafirmado o compromisso da gestão pública municipal com as Bolsas de Incentivo para os Alunos da Filarmônica e o desenvolvimento do projeto pela gestão. Dessa forma, foi esclarecido os processos e os trâmites contábeis que possibilitarão a viabilidade do projeto e esses serão todos cumpridos.

O que chama a atenção na nota, é novamente como o setor cultural é desconhecido pela atual gestão. Em uma frase do texto da citada nota diz: “orquestra tem um desempenho artístico exemplar, e o chefe do executivo reconhece a importância do pleito para os artistas e a gestão. Por isso, confirma o apoio para crescimento e desenvolvimento do grupo”. (Segue link: https://assu.rn.gov.br/prefeitura-garante-incentivo-a-filarmonica-cristovam-dantas/ ). Não é só por ter um “desempenho artístico exemplar” que a banda que leva o nome do músico Cristóvão Dantas merece apoio, mas sim por toda a contribuição que ao longo de seus 20 anos de existência, período esse em que os músicos se dedicaram e ainda se dedicam em prol da arte e da cultura fazendo aquilo que mais amam fazer. Músicos esses que ao longo de duas décadas representam a cidade do Assú por onde quer que passem.

Talvez o executivo assuense não compreenda o tamanho da importância da Filarmônica, a qual de fato promove um fomento artístico real e contribui de forma efetiva a formação do indivíduo. Atualmente, a Filarmônica Maestro Cristóvão Dantas conta com dois núcleos e que além da formação musical promovem a formação cidadã dos seus integrantes, pois também é um espaço de discussão política educacional, bem como vocacional, uma vez que seus integrantes conseguem se direcionar profissionalmente, assim como na formação acadêmica, uma vez que há músicos que seguem em seu crescimento cursando até pós- graduação na área da música, o próprio Maestro Brito é exemplo disso, sendo que uma vez aluno da banda, hoje segue liderando os grupos. Além do que já foi citado, a Filarmônica de Assú é um espaço de inclusão, pois dentro de seu quadro de integrantes há estudantes de várias faixas etárias, étnicas, sociais, deficientes, autistas e gêneros, assim como ter a primeira integrante trans do RN a compor uma filarmônica. Além de um professor que já tocou para o Papa e dois ex-alunos que seguem carreira no ITA.

Esses são alguns dos feitos que fazem da Banda Filarmônica Cristóvão Dantas merecedora de todo reconhecimento possível, pois se manter viva como instituição artístico/cultural na cidade de Assú não é uma das tarefas mais fáceis, sobretudo sem incentivo do poder público, que vez por outra ensaiam um apoio que não condiz com a real importância do setor artístico local.

Para entender melhor a matéria deixamos aqui o link para situar nossos leitores quanto ao projeto de bolsas de incentivo aos estudantes de música da Filarmônica Maestro Cristóvão Dantas de Assú: https://www.observatoriodavarzea.com/post/executivo-de-assú-não-valoriza-filarmônica

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS