03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 13:41

Publicado

20/11/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Contraponto aos 04 fatores que iludem Lula Soares

Por José Guimarães, Licenciado em Filosofia pela Faculdade Vicentina (Curitiba), especialista em Pesquisa Acadêmica e Científica na Prática Docente, pela Faculdade Bagozzi (Curitiba) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Após ler a matéria do meu ilustre colega e amigo, Silvino Júnior, e consultá-lo, me dediquei à tarefa de analisar os quatro pontos que supostamente aumentariam as chances de Lula Soares à sucessão municipal. Eis a conclusão:

1 – Imagem associada a gestão:

Por mais que o grupo político liderado por George Soares se gabe da alta avaliação da gestão Gustavo e Fabielle, como sempre fizeram questão de promover, e a partir disso tentar colar Lula Soares à sua imagem, é muito provável que as pessoas já tenham percebido essa intencionalidade e, haver um efeito contrário, passando a considerá-lo um aproveitador, uma vez que pretende receber os louros por feitos que não são seus. Além disso, transferir votos para uma pessoa sem expressão, como aparenta ser o filho de Lourinaldo, é uma tarefa árdua e muito difícil.

2 – Apoio do PT local e estadual:

Embora haja a predisposição de Fátima Bezerra em apoiar até um poste indicado pelo deputado George Soares, quando se trata da militância do PT em Assú, a conversa exige maior tato. Além da “velha guarda” que geralmente é convencida com cargos na prefeitura ou governo estadual, existe uma militância organizada, avessa ao autoritarismo que exala da oligarquia assuense. A própria Juventude do PT já se manifestou a respeito das insinuações sobre um possível apoio a Lula Soares e, ao que parece, dará trabalho para o coronelismo.

3 – Convergência do grupo político:

Sim! Há uma convergência do grupo político e, aliás, sempre existiu (depois do resultado das urnas em 2020). É um grupo poderoso, feito por empresários e a elite assuense. Mas é bem possível que as pessoas comuns, mesmo votando nos Soares há tempos, já tenha compreendido a suposta “traição” quanto à forma como descartaram Fabielle Bezerra repentinamente para apoiar Lula. Além do mais, essa convergência é alimentada por interesses pessoais, mas há na consciência de todos eles o consenso de que Lula é um nome difícil, basta ouvir o áudio vazado de Luzinete Cabral, conhecidamente aliada e componente do grupo liderado pelos Soares, em que afirma que Lula não tem chances,

4 – Estratégia de desconstrução:

Todas as tentativas de desconstruir a imagem de Fabielle Bezerra caíram por terra. Basta olhar o percurso que ela vem fazendo: sempre associada ao dia-a-dia do povo, disputada em todos os ambientes em que frequenta, cortejada por políticos locais e regionais e, por último, cobiçada pelo grupo político de oposição liderado por Ivan Júnior, maior adversário da oligarquia representada pela família Soares. Ou seja, quanto mais batem e tentam desconstruir Fabielle, mais ela está em evidência e, resiliente, mantém sua pauta em dia com o povo assuense.

Além do exposto, reitero minhas convicções também baseadas em pesquisas às quais tive acesso e conversas com pessoas ligadas à gestão. Há um enorme consenso de que o nome de Lula é um caixão pesado demais para carregar e, por mais que a máquina pública tenha ferramentas para alavancar um nome, ainda não conseguiu viabiliza-lo ao ponto de anunciar como pré-candidato, haja vista as orientações dadas pelo Chefe de Gabinete, Clebson Corsino, à militância em um grupo de WhatsApp ao qual tive acesso: “Isso é uma turma jogando combustível, vamos acalmar, afinal somos um grupo”.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS