13 Jul 2024 Ellipse ATUALIZADO 22:49

Publicado

13/02/2023

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Duas faces, um só sentimento: O MEDO

Por José Guimarães, Licenciado em Filosofia pela Faculdade Vicentina (Curitiba), especialista em Pesquisa Acadêmica e Científica na Prática Docente, pela Unibagozzi (Curitiba) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

A dois dias do julgamento que pode confirmar sua cassação, o prefeito Gustavo Soares esbanja alegria nas redes sociais, enquanto vocifera entre seus subordinados expressões estranhas que do ponto de vista humano é natural, mas expressa o sentimento de medo e impotência diante da possível sentença do colegiado do TRE-RN.

Atormentado por uma sequência de acontecimentos que o levou ao processo e, depois, condenação por abuso de poder econômico nas eleições de 2020 e agora às vésperas do seu julgamento no TRE-RN, o prefeito de Assú tem recorrido e mecanismos de defesa, amplamente estudados pela psicologia. Diante do medo, Gustavo recorre com frequência a “evasão”, “negação”, “racionalização” e “deslocamento”, como maneiras de suportar o estresse do iminente julgamento.

Com uma rotina de posts diários nas redes sociais, o prefeito tenta passar a imagem de forte, articulado, esperançoso e, acima de tudo, inocente diante das acusações que lhes são apontadas pelas muitas páginas de condenação em primeira instância. No entanto, os mecanismos de defesa, de acordo com o fundador da psicanálise Sigmund Freud são “processos inconscientes realizados pelo ego, i.e., ocorrem independentemente da vontade do indivíduo.”

Ou seja, o riso, a alegria, a impressão de bem-estar que o prefeito demonstra nas redes sociais, não condizem com o homem estressado e nervoso visto pelos quatro cantos da PMA quando, aos gritos, impõe sua necessidade de melhorar sua autoimagem, como se isso fosse possível sem se aproximar da realidade que o espera.

Segundo uma fonte, fica cada dia mais difícil conviver com um gestor que “bate na mesa” e se desespera quando suas postagens em redes sociais não apresentam engajamento de acordo com o desejado. Isso se reflete ainda mais nos inúmeros cargos comissionados que correm às pressas para curtir e comentar as postagens do prefeito, na tentativa de obedecer a uma lógica de “solidariedade” ao patrão.

O fato é que, por mais que os mecanismos de defesa sejam apresentados por Freud como algo aparentemente benéfico à psique humana, pois ameniza o estresse e alivia a tensão, não são capazes de afugentar a realidade que, por mais dura que possa parecer, no dia 15 de fevereiro Gustavo Soares não poderá fugir.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS