04 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 20:47

Publicado

09/07/2021

Atualizado

31/01/2024
Publicação

ENFIM, SAI NOMEAÇÃO PARA SECRETARIA DE SAÚDE

Por José Guimarães, Licenciado em Filosofia pela Faculdade Vicentina (Curitiba), especialista em Pesquisa Acadêmica e Científica na Prática Docente, pela Faculdade Bagozzi (Curitiba) e Editor Chefe do Observatório da Várzea.

Depois da novela mexicana estabelecida entre o pedido de exoneração do cargo pelo secretário de Saúde, Carlos Júnior, e a tentativa de mantê-lo na pasta por parte do prefeito Gustavo Soares, o que rendeu muito burburinho e fofocas palacianas, finalmente temos um novo nome para assumir a secretaria mais cobiçada do município.

Quando falo de um novo nome, os leitores devem atentar-se para o paradoxo. Não podemos chamar de novo algo já conhecido e até hipoteticamente mencionado nos blogs da cidade. A escolha da nova secretária, enfermeira Débora Cavalcante, anunciada hoje através de coletiva de imprensa, já era esperada nos bastidores e só não foi anunciado antes por decisão do prefeito em insistir em fazer Carlos Júnior “desistir de desistir”.

A “nova secretária” já é adjunta da pasta e naturalmente “sucessora” da hierarquia que, para o serviço público, é muito importante pois, em tese, conhece os trâmites e causa menos oneração e morosidade aos projetos em andamento. Em se tratando de uma enfermeira, dará maior credibilidade e talvez preencha a lacuna que Carlos Júnior deixará na pasta.

Ouvindo algumas fontes, me falavam da possibilidade de toda essa celeuma ser fruto da cabeça do deputado George Soares, que estaria testando a popularidade do secretário para um eventual lançamento de candidatura. No mundo da política tudo é possível e, confesso, cheguei a acreditar na possibilidade. Não podemos subestimar a inteligência política do deputado e sua experiência dentro deste universo.

Agora, é hora de uma reflexão. Por mais popular e competente que Carlos Júnior seja, não é insubstituível. Do mesmo modo que, apesar de ser enfermeira, não quer dizer que Débora tenha o mesmo traquejo com uma secretaria abarrotada de serviços e “nós” para desfazer todos os dias. Os gargalos da Saúde não se resolvem com sorrisos nem fotos das redes sociais. É preciso trabalho duro e olhar humanizado para as milhares de pessoas que buscam o amparo do serviço público.

Esperamos que nos quadros da Prefeitura Municipal do Assú, além das indicações políticas, hajam mais pessoas com capacidade técnicas para assumir cargos tão importantes com mais agilidade, sem ter que expor, de maneira tão grotesca, as fragilidades da governaça e do cuidado com a coisa pública.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS