17 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 13:58

Publicado

16/11/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Fabielle tem um protagonismo que nenhum outro vice de Assú teve

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente em Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Nenhum outro nome que passou pela cadeira de vice-prefeito na história recente de Assú conseguiu pautar o debate e se tornar o centro das atenções como a atual vice, Fabielle Bezerra. Ela se insere adequadamente na famosa frase que diz: ‘’Fale bem ou fale mal, mas fale de mim, o importante é ser lembrado’’.

Zeca Abreu como vice do ex-prefeito Ronaldo Soares e Alberto Luís e Eurimar como vice de Ivan Júnior, por exemplo, viveram épocas onde a internet ainda era um território distante para as estratégias do jogo político-partidário e em uma fase onde institucionalmente o vice era apreciado como mera figura decorativa. Sandra Alves como vice de Gustavo Soares em um momento recente, até chegou a sonhar com voos maiores, mas não reuniu condições para concretizar.

O que faltou nesses quatro vices, não tem faltado para Fabielle. Enquanto eles pecaram pela falta, ela acerta pelo excesso. Ela se tornou o principal assunto no último mês em um sepultamento, virou assunto novamente na reunião da oposição com três vereadores da base aliada, viu seu nome ser comentado após uma nota do Prefeito Gustavo e, mais uma vez, virou assunto após uma matéria revelar uma eventual filiação com o PSDB. Fora isso, ainda tem suas redes sociais que são turbinadas diariamente de conteúdo.

Fabielle sabe que pautar o debate e se vender de forma competente no mundo digital não é suficiente e terá que enfrentar disputas internas se quiser se viabilizar na prática para disputar à prefeitura. Nas duas possibilidades, ou ela reconquista o grupo governista e afasta o olhar de desconfiança existente hoje sobre si. Ou se reaproxima efetivamente de Ivan Júnior e costura uma frente ampla que permita que a oposição consiga se impor no jogo formando uma chapa competitiva.

O estágio de montagem de palanques ainda nem começou, mas uma coisa é certa. 2024 já é tratado em 2022. E com um certo protagonismo a ser observado.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS