21 May 2024 Ellipse ATUALIZADO 03:51

Publicado

04/05/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

OBSERVATORIO DA VÁRZEA SE REÚNE COM REPRESENTANTES COMUNITÁRIOS DO PORÉ

Com o objetivo de estreitar os laços e proximidades com as comunidades e reforçar o objetivo de ser a voz da Várzea do Assú, na vocação para ser uma rede de comunicação voltado ao público da região, no dia quatro de Abril de dois mil e vinte e dois, iniciou-se uma série de visitas às comunidades varzeanas – que compreendem às comunidades de Poré, Fazenda Nova, Panon II, Panon I, Nova Esperança, Mutamba da Caeira, Linda-Flor, Santa Clara, Olho D’água Piató e Baviera –, desta feita a reunião foi na comunidade do Poré, mais especificamente na casa de Paulo Zuza, que na ocasião representa a coordenação da Capela de Santa Terezinha; Edileusa Zuza, representante da Escola Municipal Professor Elias Souto; Adriano Zuza representando a associação de moradores da referida comunidade; e Gildson de Sá Leitão representando o Observatório da Várzea – OV.

Na ocasião, foi conversado sobre o papel do OV e sua relação com a comunidade; foi deixado claro que o motivo de existência do OV nada mais é que fazer com que a Várzea tenha voz ativa e seja ouvida pelos poderes constituídos, independentemente de quem esteja no poder municipal; apesar de o OV ter diferenças ideológicas entre seus editores-colaboradores, há no grupo a clara convicção da promoção da identidade varzeana, e para isso, estamos unidos às comunidades como uma rede, que as comunidades da Várzea são o OV e o OV são as comunidades da Várzea.

Diante dos pontos abordados, foi reforçado o contato direto com Igor Apolônio, Editor-chefe, como também a facilidade do contato pelas nossas redes sociais; desde que a demanda seja coletiva, o OV está à disposição para ajudar no que estiver ao alcance.

No decorrer do diálogo, recebemos demandas importantes que serão trabalhadas em favor da comunidade, tais como:

A falta de retorno dos royalties as comunidades de Poré e Fazenda Nova, já que toda produção petrolífera do município sai delas;

A briga territorial já resolvida da comunidade de Vila Nova entre os municípios fronteiriços tinha como base a produção petrolífera;

A retirada da urna de votação da comunidade que deixou um vácuo representativo, pois não há mais como saber o que pensam os moradores, nem quais foram os mais votados pela comunidade, como também cobrar compromissos dos votados, pois não há como aferir. Por esse motivo muitos não votaram na eleição passada ou transferiram seus títulos de eleitor para Carnaubais;

Dentre outros assuntos que serão postos a público no decorrer dos próximos dias.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS