15 Jul 2024 Ellipse ATUALIZADO 07:44

Publicado

13/07/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

OPOSIÇÃO DE IPANGUAÇU ESTÁ DESARTICULADA E SEM LIDERANÇA

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente de Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Em Ipanguaçu, o atual prefeito, Valderedo Bertoldo (PL), voa por enquanto em céu de brigadeiro. Com uma oposição desarticulada e sem liderança, a gestão municipal sobrevive mesmo em meio a enxurrada de críticas.

Nenhum representante da oposição comentou publicamente a decisão em primeira instância que cassou o mandato de Valderedo (PL) no início de junho. Ele recorreu e aguarda no cargo uma resposta do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Sem coesão, a oposição sofre por não se impor, além de não conseguir instigar cobranças contra a gestão atual ou serem lembrados ao ponto de pautarem o noticiário local.

Nesta quarta-feira (13), a oposição sofreu uma derrota. A Câmara de Vereadores do município realizou uma nova eleição para a mesa diretora do biênio 2023-2024. Essa eleição já havia sido antecipada e ocorrido em maio de 2021, tendo como resultado um empate envolvendo os vereadores Jefferson Santos (PL) base governista e Júnior Alcantara (SD) base de oposição. Júnior conquistou na época à presidência com o critério de desempate por idade determinado pelo regimento interno.

Na nova eleição da Câmara, os vereadores de oposição Júnior Alcantara (SD), Silvano Lopes (PSDB) e Fônseca (PP) não compareceram. O assunto também passou batido nas redes sociais dos três. Com 8 votos, Jefferson Santos (PL) renovou o mandato à frente da presidência por mais dois anos. O voto surpresa foi do vereador de oposição Ray Das Pedrinhas (PSDB), que seguiu a indicação da base do prefeito.

Essas jogadas na Câmara de Vereadores são cruciais para o grupo de Valderedo (PL). O Presidente da casa legislativa possui espaço para se articular e defender projetos e interesses em favor do governo. Além disso, considerando a hipótese de uma eleição suplementar em que o gestor seja afastado, seria o Presidente, aliado do governo, a ocupar o cargo de Prefeito pelo período de três meses.

A oposição de Ipanguaçu mostra dificuldades para se encontrar e caminhar em um só projeto. Nas eleições para deputado, senado e governo do estado este ano, o grupo de Remo Fonseca (PP); Thales Marinho (PSDB); e Leonardo Oliveira (PT) vão seguir lados opostos, apoiando candidatos totalmente distintos e não possibilitando a chance de testar o poder de influência do grupo estando juntos e unidos.

Sem organização, sem discurso e sem liderança, a oposição traz tranquilidade ao prefeito no momento e ele não tem do que reclamar.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS