17 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 14:43

Publicado

14/08/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

RAFAEL MOTTA DESEMBARCA EM ASSÚ EM CLIMA DE CAMPANHA MUNICIPAL

Por José Guimarães, Licenciado em Filosofia pela Faculdade Vicentina (Curitiba), especialista em Pesquisa Acadêmica e Científica na Prática Docente, pela Faculdade Bagozzi (Curitiba) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

No último dia 13 de agosto, sábado, o deputado federal e candidato ao Senado, Rafael Motta (PSB) fez um giro pelo Vale do Açú, acompanhado pelos vereadores Wallace, Paulo Brito, Karielle Medeiros e a vice-prefeita de Assú, Fabielle Bezerra.

A começar pela entrevista ao programa Observatório nas eleições, diretamente da casa da vereadora Karielle Medeiros, o deputado federal já estava acompanhado de uma comitiva de lideranças e, lado de Fabielle Bezerra, Rafael Motta foi questionado sobre muitas coisas, dentre elas, sobre o “não apoio” do deputado George Soares à sua candidatura ao Senado, uma vez que em 2020 Rafael fez uma manobra política e retirou o apoio ao grupo de Ivan Júnior, principal adversário da atual gestão, para apoiar a reeleição de Gustavo Soares. Como resposta, Rafael justificou a ausência de George em seu palanque: “tenho amizade com Gustavo e George. Se tomaram posição diferente, foram baseados na federação”, se referindo aos acordos da Federação entre PT, PV e PC do B, que impediria apoio a candidatos que não fazem parte da coligação liderada por Fátima Bezerra.

Provocado, Rafael explicou por que retirou o PSB local da base de apoio a Ivan Júnior, o que teria prejudicado Paulinho do Acredito, à época pré-candidato a vice-prefeito na chapa de Ivan. Segundo o deputado, “Paulinho foi preterido pelo grupo” e Ivan não cumpriu o acordo com o PSB, escolhendo alguém do MDB como vice e isso o teria levado a tomar a decisão de deixar o partido numa base em que tenha possibilidade de crescer.

Depois da entrevista no Observatório da Várzea, o candidato concedeu outra entrevista, dessa vez na rádio Princesa do Vale. O que se viu na calçada da rádio, naquela manhã, foi uma cena muito parecida com as campanhas municipais, quando os candidatos ao executivo são acompanhados por sua base de apoio, ao anunciar suas candidaturas oficialmente. Claro, por trás dessa mobilização estão as lideranças já citadas que, exercendo seus mandatos, acompanham as bases e mantém um diálogo frequente com o eleitorado, que aceitam naturalmente o nome de Rafael Motta como um candidato mais próximo de Lula e Fátima Bezerra, que lideram as pesquisas no rio Grande do Norte.

Em ambas entrevistas, Rafael não economizou elogios às lideranças que o trouxeram ao Vale e, de maneira enfática, exaltou a pessoa de Fabielle Bezerra a quem prometeu estar ao lado “seja qual for sua decisão em 2024”. Desta forma, da nossa parte, abre-se uma maior atenção aos movimentos políticos que virão, uma vez que quase metade dos vereadores da base da atual gestão apresenta certa emancipação em relação às orientações de voto ao senado, o que pode se repetir daqui a dois anos.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS