17 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 14:00

Publicado

10/08/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

BOLSONARISMO REPRESENTA CERCA DE 20% DA POPULAÇÃO DE ASSÚ

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente de Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Pelo menos cerca de 20% da População de Assú, 8ª cidade mais populosa do RN, parece se identificar com os princípios de militarismo, aversão à esquerda, liberalismo econômico e conservadorismo defendidos e pregados pelo bolsonarismo.

No segundo turno das eleições de 2018, Bolsonaro conquistou 22,82% dos votos em Assú. É uma votação inexpressiva, mas que diz muito sobre seu eleitorado mais fiel. Nas eleições de 2020, o PSL, ex-partido do presidente, contou com uma nominata de 17 candidatos a vereador na cidade. Nenhum foi eleito, mas calculado a soma de todos eles, renderam ao todo 959 votos, sendo Pipa (481 votos); Dr Arthur (170 votos); e Vandiclei (132 votos) os mais votados pela legenda.

Pesquisa encomendada pelo grupo TCM em maio de 2021 mostrou que a gestão do governo Bolsonaro é desaprovada por 61,68% e aprovada por 22,35% dos assuenses. O patamar de aprovação na casa dos 20% do levantamento de um ano atrás mostra que o bolsonarismo local, mesmo com a sequência de notícias ruins, conserva seus apoiadores e parece não sofrer perdas, coincidindo com o resultado obtido há quatro anos nas urnas no município e com a resiliência do próprio presidente nas pesquisas eleitorais a nível nacional, que mantém ele de forma fidelizada com o percentual entre 29% a 35% dos votos (dependendo do instituto), o que significa um terço do eleitorado no país.

Mesmo que a nível estadual e nacional o desempenho de Bolsonaro em Assú e o engajamento de seus apoiadores não seja relevante eleitoralmente, o mesmo prognóstico não vale para uma disputa local. A diferença nas urnas de cinco votos entre o Prefeito eleito Gustavo Soares (PL) e o seu rival Ivan Júnior (UB) em 2020 sinaliza que em disputas futuras, quem quiser ganhar à prefeitura, vai ter que sentar na mesa de negociação para angariar o apoio dessa turma.

Não é só na teoria dos números que esse eleitorado é representado, é também na prática. Em 2020, a cidade de Assú ganhou mais um clube de tiro e agora conta com duas entidades voltadas para esse ramo. Essa tendência condiz com o crescimento de 41% em todo o país de clubes de tiro e lojas de armas, que tem a ver com a promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) e dos bolsonaristas mais devotos que são armamentistas ou simpatizam com a ideia e defendem ainda mais armas no Brasil.

Entrevistados em 23 de Julho no Sala de Redação pela Rádio Princesa, Pipa e Arthur Sammy, principais representantes do bolsonarismo em Assú, anunciaram que Coronel Azevedo (Estadual); General Girão (Federal); e Rogério Marinho (Senado) serão os nomes defendidos pelo grupo político para o pleito desse ano. Girão e Rogério sequer conseguiu ficar entre os 10º mais votados em Assú nas eleições de 2018, Coronel Azevedo teve um desempenho ainda pior.

Em uma cidade com pouco mais de 58 mil habitantes, 20% concorda, apoia, defende, colabora, vota e se reconhece neste universo bolsonarista. Resta saber politicamente, se eles terão força pra fazer barulho ou serão apenas mais uma militância decorativa com prazo de validade até outubro.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS