17 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 14:09

Publicado

30/06/2023

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Bolsonaro inelegível é atestado de que Ivan Júnior errou ao se posicionar em defesa dele

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente de Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

A inelegibilidade de Jair Bolsonaro confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta sexta-feira, 30, é um atestado de que o ex-prefeito de Assú, Ivan Júnior, errou no ano passado quando resolveu vestir a camisa, pedir voto e fazer campanha explícita para o ex-presidente. Ao atacar Lula em uma entrevista e afirmar que o petista não era um exemplo de moral nem de respeito a ser mostrado para um filho, Ivan pesou a mão, queimou pontes e atingiu diretamente o coração daqueles eleitores pais de família que são lulistas de carteirinha e que votou nele por duas vezes para prefeito. Em uma cidade como Assú em que 75% da população votou contra Bolsonaro no 2° turno, uma figura expressiva da política local ter se posicionado em defesa dele foi a pior decisão.

A fala de Ivan contra Lula foi tão mal vista que ele perdeu a chance de assumir a Superintendência da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) no RN, após ter seu nome indicado pelo partido União Brasil. O cargo além de um salário de 20 mil mensais, traria visibilidade a nível nacional ao ex-prefeito, prestígio político e seu nome reinserido no tabuleiro eleitoral pela oposição de Assú, oportunidade que se distancia a cada dia diante do espaço que perdeu para Fabielle Bezerra, atual vice-prefeita do município cotada como pré-candidata para a corrida à prefeitura.

Mesmo com o respaldo do Senador Rogério Marinho e de outras lideranças bolsonaristas, Ivan Júnior vive um saldo negativo e que ainda não conseguiu torná-lo novamente positivo dentro do cenário eleitoral. O ex-prefeito acumula derrotas e desgastes que não precisaria ter sofrido. É hora de fazer uma autocrítica e rever as rotas e caminhos que levaram Ivan chegar até aqui.

Se Lula não era um exemplo a ser seguido e apoiado, Bolsonaro, agora condenado por abuso de poder político e inelegível por 8 anos, também atesta que não era.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS