03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 11:52

Publicado

25/08/2021

Atualizado

31/01/2024
Publicação

CANSADOS DE ESPERAR PELA PREFEITURA, PANON II DECIDE CONSTRUIR SUA PRAÇA

Por José Guimarães, Licenciado em Filosofia pela Faculdade Vicentina (Curitiba), especialista em Pesquisa Acadêmica e Científica na Prática Docente, pela Faculdade Bagozzi (Curitiba) e Editor Chefe do Observatório da Várzea.

Em outras ocasiões já manifestamos nossa admiração pelo trabalho desenvolvido pela Associação Comunitária do Panon II (ACP). Pioneira em diversos projetos e pautada no compromisso com os associados, a ACP é referência e modelo do trabalho comunitário que as associações desenvolvem na Várzea desde os anos 1990.

Desde sua criação, a Associação conversa com vereadores e gestores municipais, tentando um diálogo que beneficie a comunidade em suas mais importantes necessidades. Um dos temas mais discutidos, desde a gestão do ex-prefeito José Maria, passando por dois mandatos de Ronaldo Soares, dois mandatos de Ivan Júnior, um mandato de Gustavo Soares, chegando até o momento, é o sonho de ter uma praça na comunidade.

Todas as tentativas, todas as conversas, todas as promessas de campanhas, foram simplesmente ignoradas, uma após outra, renovando-se o ciclo de esquecimentos e despreso à demanda da comunidade. Segundo as lideranças que ouvimos, o que há em comum em todos os eleitos é a predisposição em fazer promessas e não cumpri-las.

No caso da atual gestão, desde o início do primeiro mandato, há uma tentativa de dialogar com o prefeito, havendo convites da comunidade para que ele próprio possa participar de reuniões em que a demanda seja apresentada (a demanda foi apresentada por escrito desde o primeiro mandato), mas há dificuldade no comparecimento, sempre justificado pelos assessores e interlocutores.

Pois bem, cansados de esperar, os dirigentes da ACP apresentaram esta semana o projeto de construção da praça. Uma planta desenhada por um conterrâneo, somada ao desejo dos associados, deu origem aos primeiros tijolos sentados em frente à capela Nossa Senhora de Fátima, numa demosntração de organização e cuidado com a comunidade.

Evidente que um projeto como este não pode ir adiante sem apoio da comunidade e do poder público e a ACP sabe disso. Porém, segundo os dirigentes, se a comunidade der o primeiro passo, talvez sensibilize quem está no poder e haja uma reação positiva que favoreça a realização do sonho dos moradores.

Nós do Observatório da Várzea, ao mesmo tempo em que ficamos felizes com o protagonismo da ACP, convidamos a todos, moradores, vereadores, lideranças e gestão a fazer uma reflexão da possibilidade de atender uma demanda tão importante para o Panon II, comunidade grande e expressiva, que se destaca e merece a atenção necessária.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS