15 Apr 2024 Ellipse ATUALIZADO 18:41

Publicado

17/02/2024
Crônicas

Carta: De Froide Varzeano para Mauquiavel do Pataxó (capítulo 1)

Meu caro Mauquiavel, saudações varzeanas!

Quando eu ainda tinha 22 anos, você estava chegando ao terceiro mandato como prefeito de Assú. Naquele ano de 2004, além das fantasias românticas da juventude, carregava comigo o desejo de ver o fim da oligarquia que (já naquela época) considerava um mal para o desenvolvimento da nossa querida cidade.

No entanto, por ser liderança da minha amada comunidade de Nova Esperança e estar organizando, naquele ano, a festa de 100 anos da capela de Nossa Senhora da Conceição, fui chamado para ter uma conversa com você, que talvez não lembre de tal episódio. Foi o meu primeiro encontro com um chefe oligarca. Talvez por isso a lembrança que tenho daquele dia seja tão nítida.

Fui acompanhado de um grande amigo e fiel escudeiro, Francisco Emanoel, cego de nascença, sobrinho de Manoelzinho do Bar do Povo, liderança que me inspira até hoje. Na ocasião, tratava-se de uma possível ajuda para a festa que você prometera e que, na hora da reunião, ameaçou não contribuir, na frágil esperança de ver-me ajoelhado aos pés do seu trono, como faz qualquer oligarca.

Naquele dia, enquanto dava uma resposta incisiva e, talvez, presunçosa por desdenhar sua “desajuda” para a festa mais antiga do município, depois de São João, compreendi como funcionava sua cabeça, o seu grupo e, por que não dizer, a sua classe social: eu era apenas um jovem varzeano, desempregado, filho de agricultores, sem vez nem voz. Era a situação ideal para uma cooptação, através de um possível cargo que calasse minha boca.

Ali, diante da sua tentativa de me humilhar, nasceu no meu coração o desejo de sair da resignação e encarar as estruturas de frente, na esperança de poder trazer comigo outras pessoas que conseguissem sair do comodismo da caverna e alçarem voo para a liberdade. Na época, não imaginava quão poderosa era a máquina e como se dava o comportamento dos seus iguais. 

Continua…


Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS