03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 13:12

Publicado

03/01/2023

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Como prefeito cassado de Ipanguaçu afundou o próprio grupo político

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente em Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Eleito em 2016 com quase 6 mil votos, o ex-prefeito de Ipanguaçu, Valderedo Bertoldo, afundou o seu próprio grupo político em uma série de lambanças que ilustrou a falta de liderança e de articulação para se sobressair diante de crises internas e externas que o seu governo atravessou. Valderedo se elegeu com o slogan “O Povo na Prefeitura”, vinha de um capital político alto com suas ações no setor de saúde, mas frustrou aliados, recrutou antigos adversários para a sua base, dividiu e pouco conquistou. Nos bastidores, isolou secretários, escalou profissionais que não conheciam a realidade da cidade e ainda ofereceu confiança a quem não agregou. Em 2020, após tamanha pressão, tendo conhecimento de sua rejeição por cerca de 60% da população, Valderedo se reelegeu prefeito após uma divisão que contou com dois candidatos na oposição. Dois anos depois, após uma vitória que era vista como improvável, Valderedo perde o mandato acusado de cometer abuso de poder econômico e compra de votos. Fora do poder executivo, sua gestão não contou com uma marca ou um legado para chamar de seu. Despejado da prefeitura, Valderedo assistiu o bloco governista perder maioria na câmara. Além disso, observa os novos desdobramentos na justiça que podem tirar o seu aliado da condição de prefeito interino e alçar um postulante da oposição no poder, cenário que pode fragilizar de vez sua base e nem oferecer chances para aglutinar forças para concorrer ao pleito suplementar que ocorre em março. Valderedo conseguiu a proeza de gerar tudo isso e entregou a bola para o time rival. Ao não contemplar e valorizar aliados no decorrer do seu mandato, ao inflamar egos e apostar em alternativas erradas, ao adotar uma postura morna e distante das tomadas de decisão, se fechou em um mundo paralelo e fez do seu grupo algo particular, pessoal e fechado, o que acabou no final das contas, não dando certo e sendo um presente para a oposição. Resta saber se foi inépcia, teimosia ou ingenuidade demais.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS