03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 13:45

Publicado

22/08/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

EM ENTREVISTA, GEORGE ACUSA CORRELIGIONÁRIOS DE INFIDELIDADE

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente de Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Em entrevista ao programa Balanço Político, numa entrevista regada a desafetos com os apresentadores, nesta manhã de segunda-feira, dia 22 de agosto, após ser questionado sobre os vereadores Paulo Brito, Karielle Medeiros e Wallace que, juntamente com a vice-prefeita Fabielle Bezerra, resolveram apoiar o candidato ao senado, Rafael Motta, contrariando sua orientação, o deputado George Soares respondeu “[…] acho que diante do resultado da eleição municipal de Assu, de 5 votos, o grupo tem que marchar unido […].

Não satisfeitos, os entrevistadores citaram o fato dos aliados do deputado estarem pedindo votos para Rafael Motta, além de estarem usando botons do candidato a senador no mesmo palanque em que estava Carlos Eduardo, apoiado por George. Da mesma maneira, o deputado afirmou que […] “esse grupo politico se quiser permanecer a frente da prefeitura, se quiser permanecer a frente da gestão do municipio, tem marchar unido”.

Em tom de ameaça, especialmente quando se refere grupo (“se quiser permanecer frente à prefeitura”), o deputado sinaliza para a campanha de 2024, numa clara alusão a um suposto racha no grupo.

Algo passou despercebido, seja por esquecimento ou por conveniência, o fato de outros aliados, não citados pelo deputado, estarem em palanques diferentes, mesmo sendo da base da gestão municipal. É o caso do candidato a deputado federal, Tê e do vereador João Paulo, que sequer apoia George para deputado estadual.

Além do mais, em momentos passados, os assuenses hão de se lembrar, a ex-vice prefeita, Sandra Alves, também não acompanhou George e Gustavo, votando em outros candidatos, contrariando a orientação do líder do grupo.

Ao que parece, e isso já está sendo concretizado, George busca um fato para consolidar a tese de que seus liderados (leia-se Fabielle Bezerra e vereadores) agem com infidelidade, já que, em todos os grupos de whatsapp e blogs da cidade, se comenta que ele próprio, como líder do grupo, prepara um escanteio à vice-prefeita, tendo em vista sua popularidade, que ameaça a hegemonia da família Soares na terra dos poetas. O que se comenta, em contrapartida é que, “se repetirem com Fabielle o que fizeram com Sandra Alves, os assuensses não perdoarão”.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS