17 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 15:09

Publicado

11/08/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

LIDERANÇAS DE IPANGUAÇU APOIAM CANDIDATOS DESCONHECIDOS PELO POVO

Por Silvino Júnior, graduando em jornalismo (UERN), Assistente de Planejamento da Produção (SENAI) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Raimundo Fernandes, apoiado pelo Prefeito Valderedo (PL); Terezinha Maia, apoiada por Remo Fonseca (PP); Ubaldo Fernandes, apoiado por Thales Marinho (PSDB). Nenhum dos nomes a deputado estadual apoiados por cada um dos três que disputaram a Prefeitura de Ipanguaçu são conhecidos pelo povo ou conta com um histórico de trabalho na cidade.

Em 2018, Terezinha Maia conquistou 465 votos em Ipanguaçu. Na época, ela foi apoiada por Silvio Nobre, que se projetou como pré-candidato a prefeito, mas terminou como candidato a vice na chapa de Remo. Raimundo Fernandes teve apenas 1 voto, o que evidencia a falta de proximidade com o município. Ubaldo Fernandes, sequer recebeu voto, o que também reforça a distância do eleitorado de Ipanguaçu com seu nome.

Raimundo Fernandes (PSDB) está em seu oitavo mandato como deputado estadual. Só agora, com o apoio do prefeito, é que se tem conhecimento de uma emenda de 300 mil reais destinada no mês de julho para Ipanguaçu. Em todo esse tempo, não há nenhum outro feito do parlamentar ou até registro de sua presença no município antes do período eleitoral.

Ubaldo Fernandes (PSDB), que está em seu primeiro mandato na assembleia legislativa, também só lembrou de Ipanguaçu agora. Ele destinou uma emenda no mês de julho de 150 mil para a cidade. Terezinha Maia (PL), ex-primeira-dama de São Gonçalo do Amarante, não obteve êxito em 2018 e tenta mais uma vez conquistar a cadeira de deputada estadual. Ela também não possui um antecedente atuante de ações ou atividades em favor de Ipanguaçu.

O deputado estadual George Soares (PV) é lider em votos em Ipanguaçu desde que disputa a vaga. O Prefeito Valderedo, que apoiava sua candidatura durante todo o seu mandato, desembarcou da sua base e agora coloca à prova seu capital político. Remo Fonseca e Thales Marinho, que poderiam aproveitar a brecha deixada pelo gestor e colar em um nome amplamente conhecido e bem votado, não irão seguir com George e também colocam o capital político à prova.

A missão de Valderedo, Remo e Thales é uma só. Testar a sintonia dos seus grupos e a força política de cada um em meio a candidatos completamente anônimos e até estranhos pelo olhar do povo de Ipanguaçu. O povo seguirá a indicação de voto das principais lideranças da cidade? As urnas de outubro vão falar e também vai dizer muito sobre as impressões deixadas para 2024. Alguém deve sair enfraquecido e alguém deve sair fortalecido.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS