23 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 20:18

Publicado

03/01/2023

Atualizado

31/01/2024
Publicação

O Governo Lula e a UFERSA campus Assú

Por Ayslann Tôdayochy, Mestre em Manejo de Solo e Água (UFERSA), Engenheiro Agrícola e Ambiental (UFERSA), Bacharel em Ciências e Tecnologia (UFERSA), Estudante de Engenharia de Produção (UFERSA) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

O governo Lula (PT) foi responsável pela maior expansão do ensino superior já vista no país, através do Programa Mais Médicos e do Plano Nacional de Expansão e Interiorização do Ensino Superior. No Rio grande do Norte, diversas unidades do Institutos Federais (IFRN’s) chegaram a muitas cidades do interior, já que antes existia apenas o campus de Natal e Mossoró, assim como diversos campus da UFERSA e da UFRN se interiorizaram, permitindo o acesso ao ensino superior aquelas pessoas que não tinham a oportunidade de ingressar em uma universidade, proporcionando educação de qualidade e novas oportunidades.

Assú, como cidade-pólo, foi a única que acabou não aproveitando tal momento, e perdeu, por algumas vezes, a oportunidade de ter essas estruturas federais em seu território. Entretanto, por volta de 2014, iniciou-se uma movimentação com o anseio de dotar a cidade com um campus da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Muitas foram as reuniões entre o executivo municipal, à época o ex-prefeito Ivan Júnior, o reitor da universidade e outras lideranças, onde chegaram a definir que o campus da UFERSA em Assú, seria um voltado para a área da saúde, tendo como o carro-chefe, o curso de medicina. Para o novo campus da UFERSA em Assú, foi assegurado, pelo Ministério da Educação (MEC), um orçamento de 5 milhões de reais, possuindo, inclusive, o terreno doado, o projeto arquitetônico e paisagístico finalizado, além de docentes empossados¹.

Contudo, o projeto teve que ser engavetado, quando a então presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT) acabou sendo impeachmada e em seu lugar assumiu o seu vice Michel Temer, que publicou, através do MEC, uma portaria² que suspendeu “a publicação de novos editais para criação de cursos de medicina durante cinco anos e o pedido de aumento de vagas em cursos já existentes”, decisão tomada com o argumento de que se deveria preservar pela qualidade do ensino da medicina no país. Com isso, o sonho de Assú ter uma universidade federal teve que ser adiado.

Agora, com o novo governo Lula (PT) e com a governadora Fátima Bezerra (PT), amiga pessoal do presidente e aliada do novo governo, a chama desse sonho parece começar a reacender. É esperar e torcer para que, finalmente, esse tão sonhado campus possa sair definitivamente do papel e possa trazer mais desenvolvimento, emprego, renda e mais oportunidades para a cidade dos poetas e todo o Vale do Açu.

Estamos observando…

¹https://assecom.ufersa.edu.br/2015/08/28/orcamento-do-mec-assegura-inicio-da-implantacao-do-curso-de-medicina-em-assu/

²http://portal.mec.gov.br/component/tags/tag/suspensao-de-cursos#:~:text=O%20Minist%C3%A9rio%20da%20Educa%C3%A7%C3%A3o%20suspendeu,vagas%20em%20cursos%20j%C3%A1%20existentes.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS