03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 12:14

Publicado

27/03/2022

Atualizado

31/01/2024
Publicação

O GRITO DA LAGOA DO PIATÓ

Por: Pedro Henrique Farias (poeta e escritor)

Em mais uma ação em defesa da Lagoa do Piató, o Grupo Lagoa Viva, representado pelo ambientalista Aldo Cardoso de Lima, entrega documento com uma série de reivindicações [foto em anexo] ao Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho (PL), que estava em agenda no município de Itajá, nesta sexta-feira, 25/03. O ministroanunciou, por sua vez, investimentos de R$3,9 milhões para início dos estudos para a perenização da Lagoa do Piató, em Assú, e para revitalização do açude público do Saco, na cidade de Itajá (Fonte: Portal Grande Ponto). Desta feita, oportunamente, o coletivo ambiental, ao saber da presença do ministro, não hesitou em apresentar um documento com os problemas reais e urgentes a serem solucionados, na esperança de que a pauta, que vem sendo incansavelmente defendida desde o ano de 2019, entre para a agenda pública.

O documento entregue ao ministro Rogério Marinho, faz menção às 560 famílias, das comunidades Porto Piató, Olho D’água do Piató, Banguê, Areia Branca Piató e Bela Vista Piató, que vem sendo prejudicadas com o descaso do Poder Público e a ausência de políticas para o entorno do anel da Lagoa. Além disso, destaca os principais problemas enfrentados, são eles: a existência de uma rede elétrica de alta tensão que atravessa a lagoa ao meio; a presença de uma mata densa e invasora de Algaroba, altamente tóxica para peixes e seres humanos; o assoreamento da bacia da lagoa com cerca de 1,3 metro de areia. As pautas foram ainda ampliadas, sendo acrescentado a necessidade de pavimentação asfáltica do Assú à comunidade do Porto Piató, que perfaz somente 6 km, ou seja, um trecho muito reduzido, que pode melhorar o acesso ao anel da lagoa, auxiliar no fomento do turismo local, ecológico e religioso, considerando, por sua vez, que a escultura da Santa Irmã Lindalva, foi construída na comunidade de Malhada de Areia, que fica nas proximidades, além de beneficiar pescadores e agricultores na comercialização de seus produtos. Nesse sentido, a pavimentação só não foi realizada ainda, em verdade, por falta de vontade política desses que nos representam.

Vale lembrar também, que o Assú ganhou o título em 2011 de Capital dos Baobás Centenários no Brasil, pelo viveirista e estudioso Gilberto Vasconcelos, que reuniu em seu livro “Mapa dos Baobás do Brasil”, indicando a existência de 06 desses baobás centenários situados na Fazenda Curralinho, do Piató. Pergunto, quais políticas vêm sendo implementadas para a preservação e divulgação desse patrimônio ambiental e sociocultural do nosso município reconhecido nacionalmente?

Outro projeto de defesa e preservação do patrimônio da Lagoa do Piató que merece ser destacado é a viabilização do “ECOMUSEU SÍTIO BANGUÊ”, que deverá funcionar na edificação da Escola Isolada do Banguê, inaugurada em 29 de outubro de 1949, extinta pelo Decreto nº 26.676 de 21 de fevereiro de 2017 publicado no Diário Oficial do Estado do RN, ANO 84, NÚMERO 13.873, há décadas sem manutenção, e que requer do Poder Público uma restauração em caráter de urgência, o que inclui telhados, paredes, pisos, instalações hidráulico-sanitárias, murada, além de uma pintura geral de toda a edificação. O projeto já foi protocolado no Ministério Público, na Fundação José Augusto, e nas Secretarias de Educação Estadual e Municipal, e conta com parceria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, com destaque para a atuação do Grupo de Estudos da Complexidade – GRECOM, por meio da Profa. Wani Pereira, doutora na área de Educação, que vem se debruçando sobre a trajetória de professores que herdaram dos pais a missão de educar, a exemplo de D. Zélia Nogueira, que atuou por 40 anos na Escola Isolada do Banguê.

Concluo esse texto de forma poética, preservando a memória e lirismo daqueles que ousam esperançar, e que veem nas águas da Lagoa do Piató beleza, vida, cultura, trabalho e resistência.

Poema à Lagoa

Lagoa do Piató

Na tua margem vive o teu povo:

Acolhedor,

Hospitaleiro,

Humilde,

E, sobretudo,

Brasileiro.

Tua grandeza

Se reflete na beleza das águas,

Na mata nativa

Que cobre o teu solo fértil

E se espalha pelo Vale do Açu.

Tua história

Se enfeita de glória

Pelos seus feitos e fatos:

Índios pisaram teu solo sagrado !

Negros tocaram tambores na Senzala !

Brancos feriram sua terra com a espada.

Mas a mistura das raças

Coloriu o seu leito

Como um arco-íris no céu,

E teu povo surgiu

Sob vários topônimos:

Bangüê,

Porto Piató

Olho Dágua

Areia Branca,

Bela Vista

E tantas comunidades

Que sobrevivem da pesca,

Da agricultura,

Da riqueza da mata nativa,

Da coragem e da persistência

De enfrentar a estiagem.

E a ganância de uns poucos

Que transformam a vida em cobiça,

Que oprimem os pobres em vista

De manter a dominação.

És, enfim, o berço de culturas,

Palco de muitas aventuras…

Um pedaço da Criação.

Que seu povo continue na luta

Pra que a vida seja fraterna e justa

E não haja mais exploração.

Que sua bandeira seja erguida

E entre as tantas batalhas da vida

Conduzes o teu povo à LIBERTAÇÃO.

(Milton Ramos, aos 23 de março de 2000, por ocasião do texto teatral “Lagoa do Piató: o povo conta sua história”)

REFERÊNCIAS:

PEREIRA, Wani. ECOMUSEU “SÍTIO BANGUÊ” – LAGOA DO PIATÓ – ASSÚ/RN. ANTEPROJETO DE CRIAÇÃO.

VASCONCELOS, Gilberto J. S. Mapa dos Baobás do Brasil. 2011. Disponível em: .

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS