22 Feb 2024 Ellipse ATUALIZADO 00:07

Publicado

07/02/2024
Denúncia

O sofrimento de quem precisa agendar consultas e exames em Assú

Por Iara Oliveira. Graduada em Psicologia, Palestrante e Editora Colaboradora do Observatório da Várzea

O Sistema Único de Saúde – SUS, em tese, deveria suprir as necessidades médicas da população brasileira e garantir o direito ao acesso à saúde, assim como está claro na Constituição Brasileira promulgada em 1988. Porém, a realidade não é essa. Há anos em que estudiosos, profissionais e gestores tentam construir uma forma de fazer esse sistema funcionar. Como não aconteceu ainda, a saúde se tornou um problema crônico em todo país e aqui, na cidade de Assú, não é diferente!

Recebemos a informação de uma moradora da Várzea de que o Centro de Regulação está agora limitando a quantidade de fichas. O Centro funciona com o objetivo de realizar autorização e marcação de consultas em especialidades médicas e exames, dos mais simples aos mais complexos, que até então funcionava atendendo ao público sem a limitação de fichas. Entretanto, nos últimos dias, esse método foi implementado e está gerando insatisfação nos usuários.

A moradora informa que mesmo chegando às 7h da manhã, que é o horário para a entrega das fichas, já não há mais vagas, pois o quantitativo de pessoas ultrapassa o número estabelecido pelo centro, que é de 80 fichas/dia. Essa forma de atendimento complica ainda mais a vida de quem precisa percorrer uma longa distância, com dificuldades de transporte, um custo financeiro elevado e faz com que o problema que havia sido momentaneamente solucionado retorne: as filas formadas ainda durante a madrugada para o público conseguir atendimento.

A questão é que ainda não existe uma solução para o desafogamento dos serviços de saúde que acontecem na zona urbana, que acabam por desassistir quem mora mais longe, gerando prejuízos para além da saúde física dos usuários. Aguardamos o posicionamento dos responsáveis pelo sistema de gestão de saúde de Assú e uma possível solução.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS