03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 13:01

Publicado

15/02/2023

Atualizado

31/01/2024
Publicação

Passaram o rodo na Justiça

Por José Guimarães, Licenciado em Filosofia pela Faculdade Vicentina (Curitiba), especialista em Pesquisa Acadêmica e Científica na Prática Docente, pela Unibagozzi (Curitiba) e Editor Colaborador do Observatório da Várzea.

Acostumados a mandar e desmandar em Assú, a família Soares se deparou pela primeira vez com uma situação na qual parecia se encontrar impotente. A Justiça brasileira, por mais leniente e morosa que às vezes possa parecer, parecia mostrar sua grandeza e mostrou, em primeira instância, que o poder da oligarquia não pode ser maior do que a Lei.

No entanto, na tarde de hoje, o Tribunal Regional Eleitoral – RN, se apequenou diante da própria história e se curvou ao rodo empunhado pela oligarquia assuense. Após leitura do processo, o desembargador Expedito Ferreira votou pela absolvição da chapa Gustavo e Fabielle e extinção do processo, encerrando nesta instância, as discussões acerca do caso.

Embora para muitos pudesse haver exagero em uma sentença condenatória e, para outros, fosse uma injustiça afastar o prefeito Gustavo Soares do poder, se a decisão do colegiado do TRE-RN fosse pela condenação e cassação da chapa, nos daria uma lição e nos ajudaria a enxergar a política de uma nova maneira. Nos educaria a compreender que a política não deve ser um jogo de vale tudo, onde o dinheiro dita os rumos da Democracia, pode parece ter acontecido em em 2020.

O atraso ao qual nos acostumamos identificar na cidade de Assú passa pela compreensão de mundo ao qual o nosso povo sofrido se habituou a enxergar. O expediente do voto de cabresto, o toma-lá-dá-cá, a compra de votos (seja por dinheiro, favores ou até mesmo por cargos), toda essa imoralidade que condenamos publicamente mas nos sujeitamos a aceitar, destroem o presente e o futuro glorioso que o Assú sempre mereceu.

A Justiça poderia ter se imposto e quebrado um ciclo vicioso de poder que tem arrastado nosso município ao atraso de pensamentos que culmina na estagnação do progresso que nunca chegou. Agora, é mais que necessário expurgar as forças sombrias que sobrevivem da dormência de um povo forte, mas iludido por uma família quase imperial, que faz do cinismo um valor moral e da política um meio de enriquecimento. Com ou sem a justiça, o povo precisa acordar.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS