23 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 20:15

Publicado

12/02/2021

Atualizado

31/01/2024
Publicação

PERSPECTIVA PARA O HOMEM DO CAMPO DE IPANGUAÇU

Por Paulo Márcio, Graduado em História (UERN Assu), Professor de História e Geografia da rede particular de ensino de Ipanguaçu, Especialista em Educação do Campo, Graduando do curso de Geografia e Editor-Correspondente do Observatório da Várzea em Ipanguaçu.

O homem do semiárido nordestino sempre depositou suas esperanças de um ano bom quando temos expectativas de período chuvoso. Hoje quero analisar alguns aspectos que remete à temática que envolve agricultores e chuvas, não vamos tratar das competências de São José, mas das ações e aptidões daqueles responsáveis por condicionar as melhorias para os homens e mulheres do campo através do planejamento.

Estamos no mês fevereiro, o agricultor familiar está preocupado, como todos os anos, com aquilo que é básico: chuvas, cortes de terra, sementes e financiamentos. Como sabemos, o alimento que chega à maioria de nossas mesas vem do trabalho de pequeno e médio agricultor que cultivam com grandes esforços seus pedaços de chão. O mais acertado para os órgãos que trabalham no âmbito local para o desenvolvimento da agricultura (secretaria, Emater e Sindicato) é que estejam dialogando com os agricultores para a realização dos cortes de terras e entrega de sementes.

Em contato com alguns agricultores da Agrovila Picada, zona rural de Ipanguaçu, afirmaram que a secretaria de Agricultura de Ipanguaçu, na pessoa do secretário Jaires Azevedo, esteve em reunião na comunidade para tratar a respeito dos cortes de terras e realizando, junto ao presidente da Associação da Picada, o cadastramento dos agricultores. Tomamos conhecimento que essa ação está sendo realizado em outras comunidades de Ipanguaçu. Também foi realizada uma reunião por parte da secretaria de Agricultura e Meio Ambiente com o Banco do Nordeste para discutir as linhas de financiamento para o Agricultor Familiar.

Esperamos que os agricultores passam cultivar suas terras em tempo hábil para terem uma boa colheita. Independentemente do inicio das chuvas, esse planejamento deve ser feito.

Os agricultores de sequeiros e vazanteiros de Ipanguaçu podem ter boas expectativas esse ano? Segundo os “profetas do sertão”, as chuvas terão inicio na segunda quinzena de fevereiro. Com essa informação que vem da experiência do homem do campo, é precioso agilizar para ter a terra pronta para cultivar. Assim, teremos a cultura do milho e feijão enriquecendo a mesa do nosso povo.

Podemos esperar investimentos para investimento para o agricultor familiar de Ipanguaçu?

Torcemos que esse ano de 2021 seja de boas safras em nossos campos!

ESTAMOS OBSERVANDO…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS