03 Mar 2024 Ellipse ATUALIZADO 12:34

Publicado

06/07/2021

Atualizado

31/01/2024
Publicação

QUANTO CUSTA A CABEÇA DE UM SECRETÁRIO?

Por José Guimarães, Licenciado em Filosofia pela Faculdade Vicentina (Curitiba), especialista em Pesquisa Acadêmica e Científica na Prática Docente, pela Faculdade Bagozzi (Curitiba) e Editor Chefe do Observatório da Várzea.

Com a confirmação de entrega da pasta da saúde pelo secretário Carlos Junior, nossa pergunta é instigadora para uns e perturbadora para outros. Isso se deve ao vai e vem anunciado ontem por nosso blog, uma vez que já tínhamos confirmações da novela mexicana instalada na Secretaria Municipal de Saúde.

Estamos presenciando a agonia do secretário mais popular e bem avaliado da gestão Gustavo Soares que, ao que parece, vem sendo fritado pelos próprios correligionários na expectativa de herdar a pasta, com todas a benécias que este momento pode favorecer aos abutres de plantão.

Somente nesta semana, a gestão anunciou um milhão em emendas para serem usadas pela pasta da Saúde. É claro que, especialemnte neste momento de chuva de dinheiro público, administar projetos e serviços na área da saúde pode render barganhas políticas que garantem votos. É um filme que se repete de norte a sul do país, independentemente das bandeiras políticas.

Perder um secretário de saúde na pandemia já é commplicado, ainda mais quando se vê um tão dedicado e bem avaliado pela população. Isso causa, como falamos ontem, uma aflição na população que se vê desamparada e, mais que isso, estarrecida com tantas trocas de secretários durante a pandemia.

A pergunta “Quanto custa a cabeça de um secretário?” poderia ser substituída por “Quanto VALE a cabeça de um secretário”, pois não se trata apenas de prejuízo aos cofres públicos, mais ao desgaste da gestão e da alimentação, ou não, dos interesses escusos que fazem parte do lado mais podre da política de Assu.

Nossas fontes apontam para um ou dois clãs que, há meses, pedem a cabeça do secretário. Ambos pertencem a figuras novas e antigas do cenário político, que conhecidamente respondem aos interesses mais nefastos da história assuense.

É, portanto, o momento do prefeito Gustavo Soares mostrar sua capacidade se sensibilidade e gerir essa crise que incomoda não somente os corredores da Prefeitura municipal do Assú, mas violenta a todos os assuenses que se preocupam com o futuro das políticas de saúde.

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS