17 Jun 2024 Ellipse ATUALIZADO 13:04

Publicado

29/07/2023

Atualizado

31/01/2024
Pendências

Vazamento de amônia na Potiporã: A empresa deve se responsabilizar e funcionários serem indenizados

Por Izabely Rodrigues, licenciada em Química pela UFRN, professora da rede privada e Editora Colaboradora do Observatório da Várzea

A empresa Samaria Camarões, a Potiporã que é a maior produtora de camarão da América Latina, localizada em Pendências/RN foi palco neste sábado, 29 de julho de um filme de terror, em razão de um grande vazamento de gás amônia (NH3), que é fortemente letal. De acordo com alguns funcionários que preferem não se identificarem, nos últimos dias em alguns locais da empresa já apresentavam vestígios de vazamento.

Diante do exposto, é notório a falta de responsabilidade por parte da empresa em colocar mais de 150 funcionários em um sábado, tendo conhecimento da grande probabilidade de um vazamento, que colocaria em risco a vida de seus funcionários. Há mais de 20 anos a Potiporã atua em Pendências, onde ao longo deste tempo já ocorreram diversos vazamentos, que assim como este, hospitaliza diversos funcionários. O vazamento de hoje é um dos maiores da história da empresa, onde cerca de 60 funcionários precisaram ser hospitalizados.

O hospital de Pendências não consegue atender a demanda de funcionários que precisaram de atendimento emergencial, sendo outras cidades vizinhas acionadas, para ajudar no atendimento, transferindo funcionários para cidades como Alto do Rodrigues, Macau, Assu e Ipanguaçu. Ainda de acordo com funcionários, o vazamento ocorreu na sala de máquinas 2, o que agravou ainda mais a situação, em virtude do local de vazamento ser muito próximo a saída de emergência, atingindo assim, um grande número de funcionários que seguiram o caminho de evacuamento, procurando a saída emergencial.

Quando nos debruçamos na história da Revolução Industrial, o crescimento do capitalismo, nos deparamos com condições de trabalho precárias, hoje, não tem sido diferente. Mesmo conhecendo os riscos dos vazamentos, a empresa ainda não apresenta um mecanismo que garanta a segurança dos seus funcionários em caso de acidentes como esses. Não podemos silenciar diante de situações como essas, é necessário que a empresa se responsabilize e que os funcionários sejam indenizados.

Muitos funcionários se silenciam acerca do ocorrido, para preservar o emprego, entretanto, não podemos esperar que a reivindicação surja da classe trabalhadora. Um dos funcionários presentes no local, refere-se ao momento em que os funcionários são atingidos, como “efeito dominó”, onde as trabalhadoras caiam no salão. A amônia é um gás incolor, tóxico e letal, e é imprescindível que todos os funcionários presentes no local recebam atendimento médico, vale ressaltar que este gás pode ocasionar problemas sérios, deixando sequelas. Os anos passam e a classe trabalhadora permanece em segundo plano…

Estamos observando…

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    POSTS RELACIONADOS